22 de nov de 2014

Frente Acorda Cultura Curitiba realiza assembleia no dia 24 para definir próximas ações

Primeira reunião no dia 08 de novembro
Na próxima segunda feira, dia 24, os artistas e agentes culturais  que formam a Frente Acorda Cultura Curitiba realizam Assembleia para discutir as próximas ações e debater um documento aprofundado e detalhado das  reivindicações a serem feitas ao Prefeito Gustavo Fruet. Este documento é a continuidade do debate levantado pelo Manifesto que foi lançado nas redes sociais no dia 13 de novembro. Em menos de três horas o Manifesto já tinha 500 assinaturas. Hoje ele possui quase 2 mil assinaturas que aderem ao descontentamento à atual política cultural da cidade de Curitiba. O objetivo  do Manifesto é conseguir uma audiência com o Prefeito Gustavo Fruet, já que o diálogo com a Fundação Cultural de Curitiba já se esgotou.


Como tudo começou?

Desde o ano passado, segundo ano da atual gestão da Fundação Cultural de Curitiba, os artistas vinculados ou não a entidades organizadas vinham expressando insatisfações com a condução administrativa da gestão cultural no município. Nas Conferências, nos Papos de Classe, através de documentos e em  reuniões a insatisfação foi aumentando e ganhando adesões.   No dia 08 de novembro, artistas tomaram iniciativa de chamar uma reunião para organizar estas demandas, e também motivados com a nortícia do fechamento das Casas de leitura.  A reunião aconteceu na CiaSenhas de Teatro com mais de 40 pessoas presentes (FOTO)

Entre os encaminhamentos, dois grupos foram organizados. Um para reivindicar junto aos vereadores o aumento do orçamento da cultura para 1%, promessa de campanha do atual prefeito. Outro grupo ficou responsável em elaborar um manifesto elencando as pautas debatidas na reunião e pedir uma audiência com o Prefeito para tomada de providências urgentes.
A Frente não está vinculada a nenhum fórum e/ou entidade. Trata-se de manifestação voluntária de artistas que cansaram de esperar e resolveram reivindicar que a política cultural da cidade seja retomada. Entre as pautas do manifesto, estão: inexistência de planejamento específico para todas as linguagens artísticas, culturais e de Patrimônio, assim como ações que contemplem o Patrimônio Imaterial; ela falta de critérios eficazes para o atendimento nas ações de política cultural que visem contemplar as demandas artísticas  e comunidades em  geral; falta de conceito na elaboração de editais do FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA, falta de critério na escolha das comissões de seleção e má gestão de alguns desses editais; pela  ausência de investimento e plano de formação /qualificação profissional para  funcionários da FCC ; entre outras (www.acordaculturacuritiba.com)
 
Próximos passos

A Frente está cumprindo uma agenda de visitas para a entrega do manifesto. Nesta quarta feira, dia 19, um grupo foi até a Câmara Municipal e entregou em mãos para o presidente  da casa, Vereador Paulo Salamuni. Na segunda feira, dia 24, será realizada a Assembleia no Teatro Cine Glória (Galeria Pinheiro Lima – Praça Tiradentes, 106, Centro) e ali serão tirados os novos encaminhamentos.