10 de ago de 2015

LANÇAMENTO DIA 15: Livro revela histórias sobre as tradições culinárias alemãs em Curitiba

O evento para lançar o livro acontece na Igreja Luterana de Cristo que comemora aniversário.  Muitos dos seus frequentadores fazem parte da comunidade alemã em Curitiba. 
Uma pesquisa sobre alemães, comida e identidade realizada pela doutora em História da Alimentação, Juliana Reinhardt, pulou os muros da Universidade e se transformou em um livro. Ou melhor, uma tese ilustrada, de linguagem acessível para dar acesso a este conteúdo que mescla cultura e arte numa obra só. Entre os imigrantes,  a comida é o último elo com a cultura de origem, já que muitos traços culturais vão se perdendo entre os descendentes da geração que imigrou: as roupas, a língua, a música. Mas a comida, as tradições culinárias, permanecem. O livro “Alemães, comida e identidade: uma tese ilustrada” é fruto da tese de doutorado de Juliana e  será lançado no próximo dia 15 de agosto, na Igreja de Cristo ( Luterana).   O lançamento pela Editora Máquina de Escrever ocorre na Igrejinha, como é chamada, porque tem entre seus frequentadores algumas das pessoas (fontes pesquisadas) para a elaboração do livro e nesta semana ocorrem vários eventos em comemoração ao aniversário da Igreja.
 A autora  conversou com mulheres de origem alemã, senhoras que tem prazer de cozinhar e preparar “comida alemã”. São várias as motivações, seja nostalgia, tradição ou o desejo de manter  as tradições familiares.  Da história da alimentação, Juliana Reinhardt que também é nutricionista nos leva a compreensão da ponte entre comida e memória, dos motivos que fazem as tradições culinárias permanecerem em especial entre os alemães. Durante a pesquisa  também foram utilizadas como fontes históricas livros de culinárias e cadernos de receita, bem como compilações de receitas, periódicos e revistas encontrados nos arquivos das famílias entrevistadas.  Os descendentes de alemães em Curitiba são seu foco de pesquisa desde o mestrado, quando estudou a tradição de se fazer e comer a broa de centeio da Padaria América, padaria de origem alemã.

 Além das motivações elencadas acima, a pesquisa traz o percurso histórico da imigração alemã no sul do Brasil e  de que forma acontecimentos marcados, por exemplo, por momentos de tensão como o período entre guerras se relaciona com a construção da identidade em torno da comida, ente outros fatos que vão falando da reafirmação da identidade étnica e sua relação com as tradições culinárias típicas alemãs. momentos.
 Para Juliana, que se dedica ao tema e é uma das fundadoras da Editora Máquina de Escrever, especializada em pesquisas e patrimônio, “comida nos revela muito além das suas qualidades nutricionais. Por trás de toda sua roupagem de calorias, proteínas e carboidratos, por trás daquilo que pode nos fornecer, fisiologicamente, está um mundo de significações, representações e história.”


Serviço
Lançamento do Livro “Alemães, comida e identidade: uma tese ilustrada", de Juliana Reinhardt
Dia 15 de agosto
Horário: 18hs
Local: Templo Evangélico Luterano, Rua Inácio Lustosa, n. 309 – Curitiba

Realização: Editora Máquina de Escrever

Nenhum comentário: